seg., 19 de jul. | B2Mamy e-Place

XXIV Seminário Pedagógico Rumos Abertos | Realização Instituto Pandavas

QUE MUNDO É ESSE? Como chegamos a esse caos? Rumos Abertos 2021 vem refletir sobre esse estado de coisas que se apresenta a nós, e compartilhar alternativas possíveis, para uma vida mais equilibrada e sustentável.
XXIV Seminário Pedagógico Rumos Abertos | Realização Instituto Pandavas

Horário e local

19 de jul. 09:00 – 22 de jul. 12:00
B2Mamy e-Place

Sobre o evento

Sobre o evento:

Rodas de saberes; Oficinas e programação cultural

Em sua 24° edição, o Seminário Rumos Abertos, parte de uma reflexão profunda sobre nosso modo de existir e pisar sobre a terra, buscando inspirar a criação de caminhos possíveis.

Saber mais:

Diante de um mundo que tomou rumos inesperados há alguns anos, estamos atônitos, sem horizontes, perdidos...

Precisamos urgentemente decifrar e construir novas relações com o planeta e entre as comunidades humanas. Relações estas agora baseadas na interdependência e superação do antropocentrismo, que vem nos conduzindo à catástrofe. É vital conhecer e ouvir outras formas de existir e se relacionar, outras narrativas de mundo que possam nos ajudar a abrir perspectivas e caminhos para repensarmos nosso modo de pisar sobre a Terra, talvez evitando a destruição eminente.

Essa é a proposta deste seminário: olhar para os fatos que nos trouxeram a esta realidade e buscar soluções locais, com ações criativas e potentes, integradas com quem somos. Sem esquecer da boniteza!

Certificado: 20 horas

Programação:

19/07-

9:00- 12:00 Abertura: Histórico do Seminário

Instituto Pandavas –Mara Gerbelli.

- Roda de Saberes : Como chegamos onde estamos?

· “Povos Originários: não somos donos da Terra, somos a própria Terra”- Casé Angatú (Prof. Dr. Carlos José F. Santos, Indígena e morador da aldeia Guarini Tla Atã, território Tupinambá de Olivença)

· O Colonialismo europeu e as Relações Interétnicas na América–Eduardo Natalino dos Santos

· Mediação Daniella Mendonça

– Encerramento – Narrativa com Diana Gerbelli: O menino e a palavra

14:00- 17:30 - Oficina : ''Construindo saberes com a sensibilidade humana e o olhar geográfico: o uso de metodologias ativas no ensino de conteúdos complexos''.

Daniella Mendonça

Vagas:20

20/07-

9:00- 12:00- Abertura - Música- Primo Augusto + Kátia Caroline ;

Roda de Saberes: Criando caminhos

· PSP (Portal Sem Porteira) : Rede de internet comunitária – Marcela Guerra.

· CSA , Comunidade que Sustenta a Agricultura– Yuri Almeida (Espaço Terra).

· “Ocupar e transformar. Ocupar a cidade e seus espaços: os limites da institucionalidade e as possibilidades da ação direta” -Betinho Zulu.

· Mediação Daniella Mendonça

Encerramento. Música - Priscila Magella  e Anabel Andrés

14:00- 17:00-– Oficina com PSP:

“Como a internet funciona – Porque entender a infraestrutura da internet é relevante”

Marcela Guerra

Vagas: 20

21/07-

9:00 – 12:00 - Abertura Música e Poesia com crianças do Pandavas: Alex Gerbelli, Lia Aroeira e Laïs Arnaud Balerin.

- Roda de Saberes

  • Sistema Público: Poder ou      Parceria? Tecendo Redes de Cuidado

Juliane Monteiro

· PPP – Pandavas : a construção do Projeto Político Pedagógico na Escola Democrática-Aline Alves

· Mediação Daniella Mendonça

Encerramento : Poesia e Música : Arruda+ Ligia Kamada

14:00- 16:00 - Roda de Escutas por

COSMOVISÃO AMERÍNDIA E EDUCAÇÃO DECOLONIAL, com

dani-vi.

Mediação Daniella Mendonça

22/07

9:00- 11:30

Abertura- Música dani-vi

Roda de Saberes:

EDUCAÇÃO : DATA DE VALIDADE - Ailton Krenak

Mediação: Mara Gerbelli

Fechamento: Mara Gerbelli

Encerramento: Música – Déo Lopes- Cauique Bonsucesso e Beto Quadros

Sobre os participantes das mesas:

Mara Novello Gerbelli

Co fundadora do Instituto Pandavas

Diretora do Centro Pedagógico Casa dos Pandavas e idealizadora dos Seminários Pedagógicos Rumos Abertos.

Eduardo Natalino dos Santos.

Doutor em História Social pela USP, onde também cursou o mestrado bacharelado e licenciatura. É professor e pesquisador no Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP desde 2006, onde leciona História da América Pré-hispânica e História Indígena Colonial e realiza pesquisas sobre as cosmologias e histórias pré-hispânicas e coloniais produzidas pelas elites indígenas da Mesoamérica e dos Andes Centrais. Sobre esses temas, defendeu tese de livre-docência e se tornou professor-associado em 2020. É orientador no Programa de Pós-graduação em História Social da FFLCH da USP e um dos fundadores do Centro de Estudos Mesoamericanos e Andinos (CEMA) e do Centro de Estudos Ameríndios (CEstA), ambos da Universidade de São Paulo.

Casé Angatú - Prof. Dr. Carlos José F. Santos

Indígena e Morador da Aldeia Gwarini Taba Atã – Território Tupinambá de Olivença; Professor da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC (Ilhéus/Bahia); Doutor pela FAU/USP; Mestre em História pela PUC/SP; Graduado em História pela Unesp; Autor dos Livros: Nem Tudo Era Italiano – São Paulo e Pobreza (1890-1915); Identidade Urbana e Globalização – A formação dos múltiplos territórios em Guarulhos/SP; e do Artigo: “História e Culturas Indígenas – Alguns Desafios no Ensino e na Aplicação da Lei 11.645/2008”. In: Revista História & Perspectiva. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia-UFU, 2015.

Daniella Mendonça

Daniella Souza de Mendonça foi professora voluntária no Instituto Pandavas. Atualmente é doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Goiás/UF. Pesquisa como a criação de Unidades de Conservação impacta na gestão territorial e na vulnerabilidade socioambiental de comunidades rurais.

Marcela Guerra

Formada em Ciências Sociais (UNESP), vive em um pequeno bairro rural onde atua como mãe e também na vertente entre arte, tecnologia e memória junto a Associação Portal sem Porteiras, da qual é uma das fundadoras. Trabalha na criação de narrativas e projetos para futuros possíveis, mais autônomos e respeitosos a todas es formas de vida e culturas humanas

Yuri Almeida

Formado em Ciências Sociais (UNESP), permacultor e agricultor familiar. Vive no campo onde é produtor de uma Comunidade que Sustenta a Agricultura - CSA da qual é um dos fundadores. Faz parte do conselho administrativo da Rede de Produtores Agroecológicos Apoena, da qual também é membro fundador. Atua com consultorias nas áreas de agroecologia, produção orgânica e saneamento rural

Betinho Zulu

Betinho Zulu, Produtor Cultural, Arte Educador e Pesquisador Cultural , 45 anos, secretario Nacional de Organização da Nação Hip Hop Brasil, Membro da Universal Zulu Nation (USA), organizador e Mestre de cerimônia do projeto Cultural Batalha dos Trilhos (Jacareí), Organizador e mestre de Cerimonia da Batalha dos Trilhos (Jacareí), Conselheiro no Conselho de Políticas Culturais de Jacareí, ocupando a Cadeira de artes e culturas Urbanas

Juliane Monteiro

Lobatense, ex-educanda do Pandavas,servidora pública; psicóloga pelo SUS há 15 anos e articuladora da rede Intersetorial para desconstrução de violências e promoção da cultura de paz.

Aline Alves

Ex aluna da turma 1994 do Centro Pedagógico Casa dos Pandavas, Pedagoga, Pós graduada em Educação Infantil, Literatura Infantil, Alfabetização e Letramento. Professora do Centro Pedagógico Casa dos Pandavas por 17 anos, Professora da Rede Municipal de São José dos Campos há 10 anos, atualmente é Orientadora de Escola da Secretaria de Educação e Cidadania da Prefeitura Municipal de São José dos Campos e membro do Núcleo de Elaboração do PPP – Pandavas, onde participa como mãe de estudantes da escola.

dani-vi

Pessoa-música de ancestralidade guarani e cigana, educadora comunitária, pesquisadora decolonial do sensível, auxiliar da autoformação, cantautora coletiva, nômadaterapeuta vibracional, instrumentista (violas caipiroameríndias, flautas indígenas, percussão, música cosmo-corporal, desobjetos en-cantados), músico-educadora, facilitadora de escutas e (con)vivências.

Ailton Krenak

É um dos maiores líderes indígenas do Brasil e ativista do movimento socioambiental. Foi alfabetizado aos 18 anos, organizou a Aliança dos Povos da Floresta, com comunidades ribeirinhas e indígenas na Amazônia, e contribuiu também para a criação da União das Nações Indígenas. Desde os anos 80, luta pelos direitos indígenas e teve uma participação fundamental nos artigos relacionados aos direitos indígenas, na Constituição de 1988. Em 2016, recebeu o título de doutor honoris causa pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais e em 2020 foi escolhido como "intelectual do ano" pela União Brasileira de Escritores (UBE), por meio do troféu Juca Pato, um dos mais importantes reconhecimentos da literatura brasileira.

EU QUERO!

Contribuição consciente , oportunidade de escolher o quanto  pagar, dentro de um ponto de equilíbrio pessoal (que não seja sacrificante , nem simbólico). O valor arrecadado será revertido para manutenção das atividades do Instituto Pandavas ( https://www.institutopandavas.org.br/ ), que há 44 anos vêm contribuindo para formação de crianças, jovens e professores, sendo referência em educação, inovação e compromisso socioambiental.

Ingressos
Preço
Qtd
Total
  • Ingresso abundante
    R$180
    + taxa de serviço de R$4.50
    R$180
    + taxa de serviço de R$4.50
    0
    R$0
  • Ingresso médio
    R$120
    + taxa de serviço de R$3
    R$120
    + taxa de serviço de R$3
    0
    R$0
  • Ingresso solidário
    R$60
    + taxa de serviço de R$1.50
    R$60
    + taxa de serviço de R$1.50
    0
    R$0
TotalR$0

Compartilhe este evento